Centro [Rio de Janeiro] é feio

clique aqui para ver a versão otimista

O Rio é feio. Triste constatação. Pois é. É mal arrumado, mal cuidado, o povo é mal educado. Tem-se muito para elogiar, mas o que merece louvor independe da gente da cidade ou de seus governantes. O mar, as montanhas, a Lagoa Rodrigo de Freitas, a Baía de Guanabara, são todos espetáculos a serem apreciados. São bonitos. Apesar do estrago que fizemos e que continuamos fazendo com estas belezas, a cidade passa retrato de maravilhosa. Se vamos aos detalhes, a beleza fica difícil de ser sustentada. É o caso do Centro da Cidade. Uma bagunça só.

o tradicional Edifício De Paoli:

a bela Rua São José:

Estou indo contra a maré. Dizem que o carioca está cada dia mais orgulhoso do Rio. Me incluam fora dessa. Acho que o carioca e o brasileiro em geral está mais feliz por que o dinheiro, o dim dim, tem entrado no seu bolso. Os empregos aumentaram e permitem – incentivados por instituições financeiras em geral – que o povo compre mais através do crediário fácil. Os juros são exorbitantes, mas o crediário é fácil de obter. Daí que tem mais grana para o arroz com feijão e sobra para a cerveja. Estão todos achando que vai dar para tirar sua casquinha da Copa do Mundo e das Olimpíadas. O carioca tem é orgulho da perspectiva de se dar bem. Não é possível que os cidadãos da cidade se empolguem com bueiros que explodem, com assaltos de todo tipo, com milícias, com policiais militares tentando ganhar um por fora. E a cidade? A cidade é suja. Não tem regulamento urbano e se tem é sem efeito. Quem quiser loteia uma parte da calçada ou da rua e coloca sua banquinha para funcionar, seja como camelô ou como guardador de carros em vagas imaginárias. O resultado não é maravilhoso.

o pitoresco mercado de rua na Praça Melvin Jones:

Bem, qual passeio no Centro do Rio vale a pena. Sinceramente, não sei. Se eu tiver que ser honesto na recomendação a um turista, sinceramente direi, fuja do Centro do Rio, não tem nada de interessante para ver. Esta recomendação, como sempre, terá as exceções que confirmarão a regra. Afinal, como conhecer o Teatro Municipal sem ir ao Centro. Tenho dúvida se uma visita ao belo teatro compensa a viagem à terra da desordem instituída. Tem o outro lado. Se você deseja ver o lado exótico de uma cidade entregue ao seu destino, é uma experiência.

Dica: Se você não é muito rico que lhe permita ficar em Ipanema ou Leblon, desista. É mais barato ver as maravilhas de Paris ou Nova York do que quebrar pedra no Rio. Nosso governador, pessoa de nível, sempre que tem uma chance, e olha que ele arranja muita chance, pega o avião do Eike Batista (é sacanagem, ele vai em qualquer avião mesmo, o importante é sair do Rio) e vai para Europa. Cabral sabe das coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.