Cusco [Peru] Cuidados com a saúde

Atenção: As dicas abaixo não são recomendações médicas. São fruto da experiência e dicas de outros. Para orientações formais, procure seu médico.

Efeito da altitude

É normal sentir os efeitos da altitude em Cusco (ou Cuzco), que está a 3.400 m de altitude. Os efeitos variam de pessoa para pessoa. A regra básica é não forçar o organismo, evitando bebidas alcoólicas e fumar. Você sentirá menos disposição. Procure andar devagar, controlando o esforço. O chá ou mate de coca é o santo remédio receitado por todos. Dica: Ao chegar à cidade, tome seu chazinho e deite-se no hotel por uma ou duas horas para deixar seu corpo se aclimatar. Depois, pode sair para uma primeira caminhada, com moderação. Também vale recorrer às “soroche pills”, que ajudam a contornar os efeitos. Essas pílulas têm alta concentração de estimulantes, como cafeína e taurina. A equivalente no Brasil é a Cibalena A, em que cada cápsula contém AAS, paracetamol e 50 mg de cafeína, quantidade um pouco menor do que contém um espresso. Se você é sensível a cafeína, atenção! Mascar as folhas de coca também é recomendado, mas cuide de lavar as folhas antes de ingerir (lembra da diarreia?). A dor de cabeça é sintoma comum. Vale levar também um analgésico com o qual você se dê bem. Teve um dia em que acordei no meio da noite com dor de cabeça. Uma Novalgina deu conta. Tive uma grande sensação de cansaço no segundo dia da viagem de manhã. Mas não incomodou muito pois eu sabia do que se tratava. Difícil foi subir a escadaria de Ollantaytambo. Vejam na foto abaixo o tamanho do desafio.

O leitor Badger, acrescentou que em Cuzco, vendem-se em farmácias, cilindros de Oxigênio, é muito interessante. Cada cilindro (um pouco maior que uma garrafinha de água, lógico é leve) tem um custo mais ou menos uns 30 reais. Você pode respirar este oxigênio umas 20 vezes. As pessoas que usaram falaram que faz efeito. O Hotel Monasterio (5 estrelas em Cuzco) oferece, por uma taxa extra, quartos com oxigênio extra bombeado para dentro do cômodo. A ideia é compensar o ar rarefeito com mais oxigênio disponível e aliviar a sensação desagradável provocada pela altitude.

Diarreias

Mesmo com cuidados com a água, que deve ser de garrafa, é comum que se tenha uma diarreia. As bactérias da comida de outras regiões são diferentes daquelas de onde viemos e com as quais convivemos amigavelmente. Mantenha atenção para a higiene e se alimente em pequenas porções para não forçar seu organismo. Se precisar comprar remédios em Cusco, você encontrará medicamentos para diarreia nas farmácias. Se você é do tipo organizado, inclua remédio para a diarreia na composição de seu nécessaire. A diarreia destrói a flora intestinal. O procedimento mais simples para tratar da diarreia é beber água para evitar desidratar e tomar um remédio para reconstituir a flora intestinal. No Brasil, o mais conhecido é o Floratil.

Desidratação

Lugares frios tendem a confundir nossa sensação de sede. Lugares altos são secos e retiram a umidade de nosso corpo. Quem tem nariz sensível, deve levar seu Rinossoro para evitar ressecamento da mucosa nasal. Fique atendo para beber bastante água ao longo do dia. Beba apenas água mineral. Para quem vai investir em caminhadas e precisa colher água pelo caminho, só beba de depois de tratá-la com pastilhas de purificação vendidas nas farmácias de Cusco. Carregue sempre uma garrafa de água com você nos passeios.

Febre Amarela

No mapa do Peru, Cusco não aparece como região endêmica de febre amarela, entretanto, como há a doença no país, a vacina é obrigatória para quem viaja para lá. Ela deve ser tomada até dez dias antes de viajar, que é o tempo necessário para a vacina fazer efeito. O prazo deve ser seguido, com risco de não deixarem você viajar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *