Cusco [Peru] City Tour e Sítios Arqueológicos

ver lista de artigos sobre Cusco e Machu Picchu

O passeio custa 15 soles por pessoa, algo como seis dólares. Começa 14h e vai até às 18:30h. Pode ser comprado nas tantas lojinhas de turismo que existem em volta da Plaza de Armas ou na Calle del Sol. Recomendo este como o primeiro passeio para fazer. Como só leva 4h30min, é indicado para o primeiro dia, quando ainda estamos nos adaptando à altitude. Como li em algum lugar, e confirmo, os passeios devem ser feitos nesta ordem: City Tour, Vale Sagrado e, por último, Machu Picchu, dessa forma mantem-se um ritmo crescente de beleza nos sítios a serem vistos.

Não é um city tour típico, visitam-se locais na cidade de Cusco e nos arredores. O passeio começa com a visita ao Convento de San Domingo, construído sobre o antigo palácio Inca (Koricancha) e centro de adoração do deus Sol. O terremoto de 1953 (de 300 em 300 anos tem um desses por lá) destruiu o convento e permitiu que se reconstruísse o prédio para destinação turística. Vale admirar o contraste entre as paredes a prova de terremoto que os Incas construíram e o prédio de arquitetura espanhola.

Dali, voltamos ao ônibus para seguir para à Fortaleza de Sacsayuaman, no alto da montanha junto à cidade. O grande espaço aberto com as paredões de pedra definem bem o estilo arquitetônico dos Incas. É impressionante como os Incas investiram em construções majestosas, de pouca altura, exibindo encaixes de enorme perfeição.

A mulher e sua lhama estão ali prontas para serem fotografadas pelos turistas. Que seja assim.

Depois, num ritmo cadenciado de sai e entra no ônibus, visitam-se os sítios arqueológicos de Qenko, Puca-Pucara e Tambomachay.

Algumas caminhadas ficaram pesadas pois fiz esse passeio no segundo dia e ainda estava sentindo o efeito da altitude. Uma placa nos mostra que estávamos mais perto do céu.

O final é um pouco cansativo. Tem uma parada já pelas 18h numa lojinha para o pessoal das comprar praticarem. Eu e outros nem descemos de ônibus. Só queríamos ir para o hotel. Mas, não tem jeito, compritas fazem parte do roteiro. O ônibus é um pouco estreito na distância entre os bancos. Mas a relação custo/benefício é excelente, afinal, só pagamos cerca de seis dólares por pessoa. Saibam que consultei a concierge do meu hotel e recebi uma oferta de passeio por 250 dólares! Mas aí já seria outra história: carro com motorista, guia particular, para e anda quando quiser e luxos desse tipo.

Amanhã é dia de conhecer o Vale Sagrado. E as ruínas deixadas pelos Incas vão ficando mais interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.