Cabo Verde

cidade de praia

A República do Cabo Verde tem esse nome por ser composta por um conjunto de ilhas (clique aqui para ver mapa) que se situam em frente ao Cabo Verde, no Senegal, continente africano.

Veja artigos sobre recantos de Cabo Verde na Ilha de Santiago: Cidade de Praia | Cidade Velha | Praia de São Francisco | Praia de São Tomé | Ida da Cidade de Praia a Tarrafal | Retorno de Tarrafal a Praia | Serra e Rui Vaz

E outros artigos sobre a Ilha do Fogo:
São Felipe | De São Felipe a Chã das Caldeiras | Chã das Caldeiras | Pousada Pedra Bravo, Chã das Caldeiras

As ilhas do Cabo Verde estão a 570km da costa da África. O arquipélago é formado por dez ilhas, das quais nove são habitadas. As ilhas foram formadas por acontecimentos vulcânicos (e que acontecimentos!) que projetaram a rocha acima do nível do mar. A rocha vulcânica domina a paisagem, variando do cinza ao vermelho. O declive do mar junto às ilhas é acentuado. A pouca distância das illhas já se atinge grande profundidade no oceano. A força da rocha que se projetou do fundo do oceano pode ser medida pelo ponto mais alto das ilhas, com cerca de 2.800m. Comparem com o Brasil, que apesar de sua enorme área, tem o ponto mais alto a 3.200m.

Das fontes que encontrei sobre Cabo Verde, o livro Découvert Cap-
Vert – Loin des Yeux du Monde, da coleção de guias Olizane, se destaca pela qualidade de seu material. Notem que o título do livro é “Longe dos Olhos do Mundo”. Os autores Sabrina Requedaz e Laurent Delucci passam no livro o amor que têm pelo país. É material inestimável para aqueles que quiserem viajar pela diversidade de mundos encontrada nas ilhas do Cabo Verde.

Cabo Verde foi colônia portuguesa até 1975, quando obteve sua independência. A língua oficial é o português. A população mais simples usa o criolo como língua nacional. O criolo combina o português com as diversas influências dos povos que se envolveram na história de Cabo Verde. As línguas trazidas pelos escravos africanos se misturaram com o português, inglês e francês. Variantes do criolo são encontradas nas diferentes ilhas que compõem o país. Para um brasileiro, o criolo parece uma simplificação fonética do português, onde se suprimiram concordâncias de gênero e número. O criolo é motivo de orgulho e fator de unidade para o povo caboverdiano. Entretanto, a existência de uma língua falada apenas no país pode ser motivo de segregação de sua gente. O povo mais humilde praticamente só se comunica no criolo. Isto é fator de grande dificuldade para seu acesso a níveis mais altos de educação. Aquele que não fala o português não tem como utilizar todo o material escrito produzido por Brasil e Portugal. A longo prazo veremos o que será melhor para o país: ter uma língua própria, motivo de orgulho para um povo, ou utilizar a língua antiga do país colonizador, mas que dá acesso a toda uma cultura já registrada.

Para também ver belas fotos do país, acesse Morabeza, no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.