Arquivo da categoria: Provence

Provence [Chegar e Partir]

Vindo de Paris, o trem é uma boa pedida. O TGV (Train de Grande Vitesse ou Trem de Alta velocidade) é uma experiência valiosa. O trem é confortável e os trechos de alta velocidade impressionam. Avignon é a cidade indicada para entrar na Provence de trem.

Boa opção para quem vem de avião é entrar por Marseille. Os voos das companhias aéreas europeias chegam em Marseille fazendo conexão numa capital da Europa. Usei a Lufthansa com conexão em Frankfurt. O aeroporto de Marseille Provence é pequeno mas funciona muito bem. O estacionamento das locadoras de automóveis é junto do prédio do aeroporto. Você leva carrinho de bagagens direto até o carro que vai alugar. 

A viagem de carro traz a vantagem de permitir passear pelas belas cidades que há no caminho. Com um GPS, as coisas ficam muito mais fáceis. Há chips de celular pré-pago para comprar na França com bom pacote de dados. Pode-se usar Google Maps e Waze, que substituem o GPS. Não vale a pena pagar 15 euros por dia do aluguel de um GPS, se é possível comprar o chip de telefone que funciona por toda a viagem por cerca de 30 euros. Outra vantagem: com o chip, ficamos livres das variações de qualidade do Wifi dos hotéis.  

Provence

As estradas francesas são de muito boa qualidade. As paisagens na viagem para o sul são lindas. Plantações muito bem cuidadas e castelos compõem a vista. Não há outdoors nas estradas, só a beleza da natureza e da arquitetura. As paradas são distribuídas em intervalos médios de 40 km. São bem melhores que as paradas americanas. Costumam ter áreas com mesas para piquenique, que, por sinal, é um hábito do francês quando viaja de carro. Compra-se bom pão, patê, queijo e salame, e faz-se uma festa ao ar livre com baixíssimo custo. Experimentem.

Provence [Informações]

Informações sobre a região:

A Provence foi “descoberta” para o grande público através de um livro, curiosamente escrito por um inglês, Peter Mayle. Trata-se do famoso “Um Ano na -Provence“. É leitura fundamental para quem vai se aventurar por aquelas bandas. O livro dedica um capítulo a cada mês do ano, descrevendo as peculiaridades da estação do ano. Mayle comenta os restaurantes da região e a relação do francês com sua cachaça, o pastis, que pode atingir níveis de teor alcoólico de inimagináveis 60%. O autor também explora o humor dos operários franceses conduzindo uma obra e descreve a famosa caça as trufas, a iguaria que se valoriza desde que sai do solo francês e pode acabar por produzir um prato especial em restaurantes finos do Rio custando a bagatela de R$300! Continue lendo Provence [Informações]

Gordes

gordes

Gordes é uma das mais belas vilas da Provence. Segue o modelo de se situar numa montanha, com vista privilegiada para a planície em frente. A combinação de suas construções forma conjunto harmonioso que corresponde às cidades de nossos sonhos. Podemos dizer que ela está entre os grandes “retratos” de cidades. O uso da pedra nas construções de Gordes dá um tom árido à cidade quando vista de perto. Mas a pequena vila tem belas ruelas e cafés para serem explorados. É visita inevitável para quem passa pela Provence. A foto abaixo é aquela “clássica”, que tiramos quando chegamos a entrada da cidade. Até o filme “Um Ano Bom”, passado na Provence, utilizou esta imagem.

gordes

Desculpem a insistência, mas quando olhava a vista da cidade, uma tempestade surgiu de repente, com nuvens espessas, que permitiram boas fotos antes da chuva chegar.

gordes

Se você estiver de carro e não estiver na alta estação, o estacionamento na praça principal permite deixar o carro e bater pé na cidade confortavelmente. Na alta estação a coisa fica mais complicada.

Dá pra visitá-la em metade de um dia, se você estiver viajando em ritmo acelerado. Vale a pena andar pela cidade e visitar a Abadia de Sénanque, que fica “>a 5km da cidade. A abadia foi fundada em 1148, suas instalações sofreram várias ampliações ao longo dos séculos, mas o prédio original foi preservado. A abadia e sua plantação vizinha de lavanda é cenário interessante para pensarmos no que se fazia por ali um milênio atrás. A entrada é paga e há visitas guiadas.

gordes

gordes